Estava eu dando uma passeada no planeta Ubuntu brasil, e dei de cara como um post do hamacker falando sobre o novo metacity. Resolvi dar uma olhada, porque a placa de vídeo do meu computador aqui no hospital até que é boa, mas o compiz não funciona de jeito nenhum. E como eu não gosto muito das firulas do compiz (tá, eu gosto sim… mas não pra trabalhar o dia todo como elas) resolvi testar o novo metacity. Até porque, como comentou o hamacker, “o novo metacity só tem o compositing, não tem nada dos efeitos mirabolantes do compiz“, e “Visualmente você tem transparências, sombras, o sumiço do efeito escadinha nas fontes, etc“, que pra mim já são mais do que suficientes.

Vou aqui reproduzir os passos que o hamacker ensinou:

1) Caso esteja usando o AWN (Avant Window Navigator, um dock bar), feche-o;

2) Caso esteja usando o Compiz, desabilite-o. Isto pode ser feito na aba “Efeitos Visuais” da janela de “Aparência” do gnome;

3) tecla ALT+F2, e execute gksu gnome-terminal (eu nunca tinha pensado em ter um terminal como root com esse comando);

4) No terminal, digite

apt-get -v install gnome-common build-essential autoconf gnome-devel libtool subversion

Para mim, estes pacotes (e suas dependências) resultaram em um download de +/- 44Mb. Depois de instalados, digite o seguinte, no mesmo terminal:

cd /usr/src
svn co http://svn.gnome.org/svn/metacity/branches/iains-blingtastic-bucket-o-bling/ metacity
cd metacity
chmod a+x autogen.sh
./autogen.sh

Agora vem uma decisão importante: lembrando que o novo metacity é um software em desenvolvimento (e, portanto instável), você tem a decisão de executá-lo por invocá-lo manualmente, ou instalá-lo por cima do metacity atual. Obviamente, como este computador também é a minha estação de trabalho, decidi pela primeira opção. Até porque, com a segunda opção, eu posso voltar ao antigo em caso de problemas (é só reiniciar o computador e pronto).

Bom, continuando… Se quiser substituir o seu metacity pelo novo, digite no terminal

./configure --enable-compositor --prefix=/usr

Para usar o metacity, mas com a opção de voltar para o velho se quiser, digite

./configure --enable-compositor

esta segunda opção foi a que eu usei. Ele configura o metacity novo para instalar em /usr/local/bin, que é um lugar bem longe do metacity atual. Feita a sua escolha, compile e instale:

make && make install

Agora, feche o terminal. Não vamos precisar mais de acesso root.

Abra um terminal (sem sudo), e digite o seguinte:

gconftool-2 --set --type=bool /apps/metacity/general/compositing_manager true
gconftool-2 --set --type=string /desktop/gnome/applications/window_manager/current "/usr/local/bin/metacity"
gconftool-2 --set --type=string /desktop/gnome/applications/window_manager/default "/usr/local/bin/metacity"
/usr/local/bin/metacity --replace&

Estes comandos vão: habilitar o composite no gnome, trocar (temporariamente) o seu metacity pelo novo, e ativá-lo. Se você escolheu a opção de não substituir o seu metacity antigo, no ./configure, você precisará executar os quatro últimos comandos cada vez que quiser usar o metacity novo. E era isso!

Agradeço ao Hamacker, por lembrar-nos desta dica, e ao dagus.org, que foi o criador deste howto.